Abre Essa Mix! – “001 – Angels in Amplifiers”

Blog_Fotos_Post001

Inaugurando mais uma seção aqui no blog, hoje faremos a primeira Abre Essa Mix!, onde iremos conhecer passo a passo da mixagem de alguma música.

A mix escolhida de hoje se chama “I’m Alright” da banda “Angels in Amplifiers” e sua raw session está disponível para download gratuito na maravilhosa biblioteca “The ‘Mixing Secrets’ Free Multitrack Download Library”, um diretório recheado de sessões abertas de diferentes músicas e artistas que destinam esses arquivos a mixadores amadores e profissionais do mundo inteiro para criarem suas versões de mixagem por estudo ou mesmo diversão.

Mesmo mixando trabalhos e mais trabalhos todos os dias eu particularmente adoro baixar algumas dessas sessões e fazer minhas versões de mixagem no meu tempo livre. A ampla diversidade de estilos musicais que a biblioteca concentra é o grande diferencial, pois você vai do Metal ao Bluegrass e consegue transitar entre diversos mundos distintos. Acredite, é o melhor exercício que um técnico pode fazer!

Decidi começar com essa canção específica porque o material bruto é de uma qualidade poucas vezes vista por este humilde produtor aqui. Os timbres que o artista tirou juntamente com seus time de produção estão entre os melhores que já ouvi e trabalhei (fato que explica tantos videos de remixes dessa canção feitos e publicados por técnicos de todo o mundo).


A tracklist da sessão conta com os seguintes elementos:
01_KICK
02_SNARE
03_OVERHEADS
04_TOMS
05_PERCUSSION
06_BASS
07_PIANO
08_ELEC GTR
09_AC GTR1
010_AC GTR2
011_LEADVOX
012_BACKINGVOX1
013_BACKINGVOX2


Além das tracks originais, criei algumas tracks e efeitos adicionais que quase sempre utilizo nas minhas mixes. São eles:

– Dobrei o Violão base, atrasei alguns milisegundos a cópia e os coloquei no hard panning L R para que pudesse abri-los na imagem estéreo.

– Criei um segundo canal de baixo com uma cópia do sinal gravado. Apliquei um Hi-Pass em mais ou menos 260Hz, e apliquei uma distorção e compressão forte. Isso me dá a possibilidade de ter o barulho das cordas e dedos que não ficaram tão evidentes na gravação do baixo, e eu posso fazer um blend com o sinal original. Ajuda o baixo a “cortar” melhor a mix.

– Dobrei o Piano com o Waves Doubler2 que faz a mesma função de gerar uma cópia do sinal original e atrasá-la alguns milisegundos para espalhar a imagem do instrumento em hard panning L R, já que ele também veio mono e eu gosto bastante de ter os elementos falando bem abertos nos Pan.

– Criei uma simulação de Stereo Room que aprendi num tutorial do Steven Slate, onde você cria um bus channel e manda uma cópia de seus overheads, bumbo e caixa para ele. Coloca um Stereo Delay setado em 20ms de um lado e 30 ms do outro, depois passa por um Reverb simulando um Room breve e com o mix em 30%, equaliza para “arrumar” eventuais brechas de frequências, e por fim comrpime com um ratio forte, ataque lento e release rápido. Assim crio uma sala estéreo bem grande que misturo com o sinal original da bateria, conseguindo uma imagem maior ainda.

– Por fim criei alguns efeitos de voz para dar uma enriquecida na “produção” da música. O famoso “som de rádio” para criar umas texturas diferentes em determinados pontos da canção.

No mais utilizei as ferramentas de sempre que tenho a mão em quase todas as minhas mixes. Equalizadores (Fab-Filter Pro-Q, Wavez H-EQ, etc…), Compressores (Waves CLA-76, Waves CLA-3A, Waves API-2500, etc…) assim como alguns stereo delays, reverbs, e alguns plugins de boutique para “colorir” mais o som.

Note que no Mix Buss tenho uma porção de plugins ligados. Para mix uso apenas os 3 primeiros, porém como se trata de uma demonstração, os demais plugins compõem uma “master” rápida para equilibrar o som geral e acrescentar volume.

Mix Session:

Raw Session:

Espero que gostem pois esse é um formato de artigo que eu sempre quis fazer e agora estou colocando em prática! Cheers! o/